Ao lado de Mercadante, Netinho oferece show em troca de votos!

Netinho de Paula, candidato a uma vaga no Senado, visitou Araras e participou ao lado de Aloísio Mercadante do então candidato a prefeito de Araras Nelson Bambrilla. Em seu discurso Netinho disse que o candidato lhe fez dois pedidos. O primeiro uma visita a cidade e o segundo de fazer um show em caso de vitória no pleito.

Netinho então prometeu aos eleitores que caso o resultado das urnas fosse favorável ao candidato do PT no domingo, na segunda ou na terça traria Belo, e sues “mano” para fazer um pagodão.

O vídeo comprova a troca de votos por show, por acaso alguém flagrou o abuso e resolveu colocar no You Tube. Mas isso acontece Brasil afora. O filme “Lula, o filho do Brasil” está sendo promovido por diversas prefeituras com a clara intenção de fazer campanha eleitoral.

Veja no Terra que Bambrilla ganhou por poucos votos. Conclusão: a promessa de um “pagodão” pode ter sido decisiva na eleição.

Anúncios

PT lançará Mercadante ao governo

O PT lançará o senador Aloizio Mercadante como pré-candidato ao governo de São Paulo ainda em busca dos pequenos partidos como PRTB, PTN, PSL, PSC e PHS para compor a chapa. Sábado haverá o encontro estadual do PT que marca oficialmente o lançamento da pré-candidatura dele e da ex-prefeita Marta Suplicy ao Senado. O ato terá a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff. Até o momento, a chapa de Marcante tem o apoio do PDT, PR, PRB, PC do B e PSL.

Segundo o presidente do PT de São Paulo, Edinho Silva, o nome mais forte para compor com Marta é o do vereador Netinho de Paula (PC do B). O dirigente petista disse que as conversas com o PSB estão suspensas, enquanto os socialistas mantiverem a opinião de lançar o presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf, candidato ao governo paulista. Desde o início do processo estamos respeitando o PSB, que optou pela a construção de uma candidatura própria , disse Silva.

O voto paulista

O PT de São Paulo ainda espera, mas apenas formalmente, a reunião entre o presidente Lula e o deputado Ciro Gomes, pré-candidato do PSB à sucessão presidencial, para lançar ao governo de São Paulo o senador Aloizio Mercadante. Espera com a pressa de caso decidido.

Com mais de 22% dos eleitores brasileiros, São Paulo tem o maior colégio eleitoral do país e jamais deu um voto de confiança ao PT para governar o estado. O partido perdeu em 2006 com Mercadante, senador eleito em 2002 com votação recorde, e nunca repetiu nome nas eleições em que disputou no estado, vencidas pelo PSDB e PMDB.

O presidente Lula ensaiou mudar o disco com Ciro, vendo a chance de com ele tirar o estado do PSDB. E sobretudo tirá-lo da disputa com a candidata já consagrada pelo PT, a ministra Dilma Rousseff.

O roteiro pareceu completo quando Ciro o atendeu e transferiu em setembro o domicílio eleitoral do Ceará para São Paulo. No meio do caminho, com as alfinetadas de Ciro no PT paulista, Lula passou a ver méritos na persistência – ele próprio vitorioso só na quarta tentativa. Mercadante, praticamente reeleito, segundo as pesquisas internas do PT, foi persuadido neste cenário a mudar de objetivo.

Para Mercadante, não só para fazer número e dar palanque a Dilma. Para Lula, porque é o nome mais visível e mais bem avaliado do PT em São Paulo para a disputa, provavelmente contra Geraldo Alckmin, sem Ciro tirado da cartola. O que será vai depender do eleitor.
(Correio Braziliense)

Mercadante diz que PT quer aliança com PSB em SP e que Lula não pediu sua candidatura

O senador Aloizio Mercadante (PT-SP) afirmou nesta quinta-feira que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não pediu sua candidatura ao governo de São Paulo e que o partido mantém interesse em fazer aliança com o PSB no Estado.

“O nome que ele [presidente Lula] sinalizou é o do Ciro Gomes”, afirmou.

Mercadante não respondeu se sairá candidato a governador caso Ciro não seja o nome do partido para São Paulo, e afirmou que disputará novamente uma cadeira no Senado em 2010.

Apesar dos planos do PT de emplacar Ciro Gomes como candidato ao governo de São Paulo, o partido sustenta o discurso de que o deputado cearense tem o direito de se lançar candidato à Presidência da República.

O ex-ministro José Dirceu afirmou que a possível candidatura de Ciro não vai desviar votos da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil). “A Campanha de Dilma tem apoio da maioria dos partidos”, disse Dirceu.

Meu querido

Posto que o transplante de Ciro Gomes (PSB) para São Paulo fica a cada dia mais improvável, Lula deverá ter em breve uma conversa com Aloizio Mercadante (PT), atualmente seu plano B para a disputa do Palácio dos Bandeirantes. O senador, que em princípio gostaria de se reeleger, está, segundo os mais próximos, “apavorado”.

Folha de SP

Na briga dos bigodes, o barba venceu

sarney_lula_mercadanteA força do PT em manter José Sarney no cargo de presidente do Senado irritou alguns senadores. Um deles foi Aloisio Mercadante, líder do governo na casa. Ele esbravejou, disse que não se conformava com o arquivamento das investigações pelo Conselho de Ética e, por isso, garantiu aos eleitores que sua renúncia ao cargo de chefe do partido no parlamento seria ‘irrevogável’.

Os bigodes definitivamente não estavam se entendendo.

Foi então que o barba entrou em ação.

Chamado para uma conversa ‘a portas fechadas’ com o presidente Lula, Aloisio estaria decidido a renunciar. Mas no fim deu pra trás.

O que teria acontecido?

(1) Mercadante mentiu ao dizer que renunciaria ao cargo de líder do PT no Senado.
(2) Lula fez a Mercadante “uma proposta que ele não poderia recusar”. Por isso renunciou à renúncia.
(3) A imagem de político sério de Mercadante não passa de fake?
(4) Com certeza, todas alternativas acima.

O dia do ‘fico’ de Mercadante

1821VC0046.image_media_horizontalAloisio Mercadante está com a cara no chão. Ele  foi uma das figuras mais massacradas do Twitter nesta sexta-feira. Tudo porque tinha garantido aos quatro ventos, inclusive pelo microblog, que deixaria a liderança do partido por conta do arquivamento das acusações contra José Sarney. A decisão só saiu por causa do apoio do PT, que votou a favor do ‘acordão’.

A saida de Mercadante da liderança já era certa. Mas hoje… Em um encontro à portas fechadas com Lula, o senador petista voltou atrás.

É. O PT, definitivamente, não é mais o mesmo. Com a palavra, Marina Silva.